Pergunta do internauta



Hoje em dia é muito comum fazer votos e promessas a Deus a fim de obter graças especiais. Freqüentemente vemos estampas de santos distribuídas aos milhares como cumprimento de promessas feitas e mesmo sacrifícios enormes como forma de agradecer a Deus por graças alcançadas. Nesse sentido, tenho algumas perguntas: votos e promessas são a mesma coisa? É certo fazer promessas? É pecado não cumpri-las. Deus me atende se eu não fizer promessa? (Fábio Carlos, paróquia Nossa Senhora da Esperança, diocese de Santo Amaro)

Caríssimo Fábio,

     
       A sua dúvida é a mesma de muitos católicos, pois percebe-se que está na moda uma espécie de religião comercial, onde tem-se a impressão que Deus concede graças e bênçãos especiais em troca de bens materiais ou mesmo promessas esquisitas, para não dizer absurdas.

     
       Sua pergunta, antes de mais nada, permite meditar na natureza própria de Deus e nas verdadeiras motivações religiosas atuais. “Será que posso estabelecer uma relação comercial com Deus, de modo que dou algo em troca de ´bênçãos` e de prosperidade”?

      O que está por trás dessa concepção é uma espécie de religião da retribuição, onde não se procura primeiramente adorar Deus e sim instrumentalizá-Lo e fazer dEle um amuleto que garanta uma vida isenta de “problemas”. A partir daí busca-se uma espécie de religião “self-service” onde se busca o que convém e quanto menor a exigência moral melhor.

      Bem, modismos à parte, o que interessa é saber a vontade de Deus. Será que os problemas não servem também para fortalecer a fé e tornar o homem mais perfeito e mais santo? O que diz a Escritura?

      “Meus irmãos, tende por motivo de grande alegria o serdes submetidos a múltiplas provações, pois sabeis que a vossa fé, bem provada, leva à perseverança, mas é preciso que a perseverança produza uma obra perfeita, a fim de serdes perfeitos e íntegros sem nenhuma deficiência” (Tg 1,2-4).

      Para um verdadeiro católico, o modelo é Cristo, que deixou um imperativo que norteia a vida de seus seguidores: “aquele que não toma sua cruz e não me segue não é digno de mim” (Mt 10, 38). Não importa se aparentemente há uma situação que exija um pouco mais de amor, pois “Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam” (Rm 8, 28).

     Estimado Fábio, sua pergunta possibilitou uma grande reflexão. Eis as respostas.
     Primeiro é necessário entender o que são promessa e voto.
     Em várias circunstâncias, o cristão é chamado a fazer promessas: Batismo, Crisma, Matrimônio etc, por devoção pessoal pode também prometer a Deus este ou aquele ato, oração, esmola, peregrinação, desde que seja fruto do amor sincero e não de uma relação comercial (cf. Catecismo n. 2101).

     O voto é um ato de devoção, no qual o cristão se consagra a Deus ou lhe promete uma boa obra, a Escritura e a Igreja sempre reconheceram como atos piedosos e que agradam Deus (cf. At 18,18; 21, 23-24).

     Assim, não há problema algum em fazer promessas, desde que se tenha claro que o Amor de Deus não está condicionado a isso, pois “foi Ele que nos amou primeiro” (cf. 1Jo 4,10c). A graça de Deus nunca pode ser comprada, a promessa ou o voto servem apenas para ajudar a ter o coração em Deus e isso sim O agrada.

      A fidelidade às promessas é uma manifestação do respeito e do amor para com o Deus fiel, por isso, em alguns casos, o não cumprimento pode configurar pecado, porém em certas situações a Igreja, por motivo justo, pode dispensar o fiel dos votos ou promessas. O mais conveniente é consultar um bom sacerdote.

     Deus está sempre pronto para atender as preces de seus filhos e isso é fruto do seu amor incondicional. A verdade é que o Senhor gosta da oração de seus filhos, porque ela é fonte de amizade com Ele. “Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto; pois todo o que pede recebe; o que busca acha e ao que bate se lhe abrirá” (Mt 7, 7-8)

    
Espero que tenha ajudado a esclarecer sua dúvida. Se você, internauta, tem alguma dúvida de fé ou algo que queira se aprofundar um pouco mais envie seu questionamento para o meu e-mail vocacional.santoamaro@bol.com.br até a próxima pergunta!!

Pe. Gilberto Lombardo Júnior

























Postar um comentário

Google+ Followers

Translate

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP